Um belo dia decidi mudar….Espanha

Paciência, quando estamos começando uma nova vida devemos ter paciência para tudo encaixar… Nem tudo é uma maravilha e passar por mudança requer habilidade de adaptação.

Carine Saenz e marido


O Inquietude Brasileira foi dar um passeio em Alicante na Espanha, lugar onde uma baiana escolheu para ser seu lar e de sua família. Numa mudança de vida tão marcante como a de país não há como evitar comparações e ponderações sobre suas origens e sua atual realidade. 
Se por um lado se desenvolve o espírito crítico, por outro, ser flexível é básico e fazer parte do processo evolutivo que um imigrante tem que passar para sobreviver em terras estrangeiras.

 

A nova entrevistada mostra seu lado curioso e ao mesmo tempo crítico traz-nos alguns pontos interessante da cultura e vida espanhola.
 


Nome e idade
Carine Paz Saenz, 35 anos


Terra Natal
Salvador-Bahia


Lugar em que mora atualmente e há quanto tempo.
Moro na Espanha. Na província valenciana numa cidade chamada Alicante. A Costa Blanca assim como é chamada a região costeira daqui é o quintal dos madrilenhos. De carro estamos distante 4 horas, mas de trem estamos a duas horas e meia de Madri.
A primeira vez que vim morar aqui foi começo de 2007 e passei 2 anos. Voltei ao Brasil Dezembro de 2009. Retornei a Espanha em agosto de 2013.


É casado (a)? Tem filhos?
Sim. Sou casada ha 11 anos. Meu marido é filho de espanhóis que foram morar no Brasil depois da guerra civil espanhola. Ele tem dupla nacionalidade. Porque nasceu no Brasil.


Mora com quem?
Marido Carlos e meus filhos Álvaro e Antônio


Já morou em outros lugares antes?
Não sempre morei em Salvador.


Teve dificuldades quanto a visto? Quais?
Não tive dificuldades alguma quanto ao visto, pois como sou casada com tenho visto de residência e trabalho.


Do que sente mais saudade de sua terra natal?
Do calor humano, da família, dos amigos, da comida…. Sinto muita falta da espontaneidade do brasileiro, do jeito leve de viver a vida.


O que acha mais interessante do local/ pessoas onde mora atualmente?
Logo quando vim morar aqui passei minha primeira temporada em Barcelona que é uma cidade do mundo. Ali você encontra gente de qualquer lugar do mundo no mesmo espaço. Uma coisa bem interessante aqui é que quando você pega um ônibus ou metrô verá gente falando em vários idiomas.
Em seguida vim morar em Alicante, uma cidade pequenada costa valenciana de 400 mil habitantes, porém tem tudo. Gosto muito da praticidade, é uma cidade pequena e podemos fazer as coisas rapidamente, sem transito. Ao fim de tarde estão todos de happy hour.
Outra coisa muito interessante e um tanto irritante é a famosa siesta espanhola… Aqui na hora do almoço toooodos dormem…Todos.
A hora do almoço aqui é por volta das 14 horas e as lojas, escritórios, tudo fecha pra hora do almoço e só retornam as 17 horas da tarde, ou seja, passam 3 horas ou mesmo 3 horas e meia tudo fechado e vira uma cidade fantasma porque essa hora estão todos em casa comendo e cochilando. A grande maioria das repartições públicas e banco funcionam apenas das 8 da manha as 2 da tarde. Não me acostumei com isso ate agora!!! Acho um atraso de vida, mas eles já fazem isso há 2 mil anos, devem saber o que faz…
A hora da siesta é tão sagrada que nada e ninguém vai na casa de outra pessoa pra incomodar, e os condomínios no verão a piscina fica fechada…. Simplesmente não pode tomar banho de piscina essa hora para respeitar o silêncio da siesta.
Aqui só pra que entendam no verão o sol se põe as 21:30horas… rs e verdade temos Sol ate quase 22hs o que no Brasil é noite pra eles aqui é fim de tarde.
Já as pessoas no começo, quando não te conhecem, são muito desconfiadas… Não são muito abertas. Com o tempo vão tendo mais intimidade… Mas é muito difícil que convidem pra sua casa… Chegar nesse ponto tem que ser muito intimo.


O que considera mais estranho/engraçado em termos de comportamento do local ou das pessoas daí?
Para mim é muito estranho os palavrões, para nós, considerado feio, mal educado aqui os palavrões se falam até nas séries de tv, e outra coisa que não gosto nada é que na tv tudo é dublado em espanhol, nada legendado, nem as series americanas. Tudo dublado. Um horror.
Já outra coisa que considero engraçado é que os animais de estimação aqui podem quando permitido entrar até em agencia bancaria.


Já precisou de atendimento médico? Como foi?
Sim,o atendimento medico é bom, mas confio muito mais na nossa medicina. Na maneira que atuam os médicos no Brasil. Penso até que temos uma melhor formação. Ate porque aqui não se vê tanto acidente e nem tratam de coisas gravíssimas como ferido a bala acidente de trafico trágico, facada essas coisas horrorosas que vemos no Brasil.
Aqui o governo tem o controle de tudo. Por exemplo, para tudo e qualquer trâmite. É necessário seguir um protocolo isso quer dizer que vamos ao órgão da Prefeitura com um comprovante de endereço e dizer onde moramos. A partir desse comprovante é que começam os trâmites e só depois o atendimento no posto de saúde do meu bairro…
Então eles me designam um medico de família que é clínico geral que tem todo o histórico médico e faz todo o atendimento necessário. Se for preciso um especialista deve ser encaminhado pelo médico de família.


Qual o meio de transporte que costuma usar?
Trem via (metro por cima) ele tem um carril especial e transita pela mesma pista que passa
ônibus e carros.


Como é a segurança pública onde mora?
Muito boa, quase excelente… aqui pode passear tranquilamente a qualquer hora.


Em algum momento sofreu discriminação por ser estrangeiro (a)?
Não sou muito de notar passos em perceber, pode até ser que tenha passado por alguma situação, porém sou muito segura com as minhas atitudes e não fico imaginando. Se eu notar que irá falar qualquer coisa logo contesto e imponho minha posição.


O que te inquietava e te fez decidir mudar de país?
Na verdade é uma história longa, minha irmã Taiane com 18 anos fez aupair na Alemanha e em seguida foi viver na Espanha, sabendo que meu marido era espanhol, um dia nos perguntou se não tínhamos vontade de viver na Espanha, despertou a vontade de sair, outros fatores como a violência também aumentaram esse desejo. Isso foi em 2006, viemos para Barcelona passamos alguns meses e em seguida viemos pra Alicante. Em 2009 voltamos para o Brasil e retornamos em agosto de 2013.


Você trabalha como o que?
Sou formada em direito e aqui estou homologando meu diploma para exercera advocacia aqui na Espanha. Atualmente trabalho com legalização de documentos para estrangeiros e assessoria jurídica. E faço uma pós graduação em pratica jurídica.
www.carinesaenz.com
facebook Carine Saenz legalização e assessoria jurídica.


A necessidade com toda certeza, faz-nos desenvolver habilidades antes desconhecidas. Acha quea mudança de país fez desenvolver em você algum talento antes desconhecido? Qual?
Sim, na verdade, vivendo na Europa me reeduquei… rs sempre recebíamos com muito prazer. A qualquer momento que chegasse visita, aqui não é assim para fazer qualquer coisa tem que marcar com muita antecedência, no qual limita muito o convívio social. Hoje entendo também o não das pessoas, tenho mania de insistir e isso aqui não rola, Quando uma pessoa diz não quero. Já é o ponto final.


Considera-se uma pessoa inquieta?
Sim totalmente, desde pequena muito inquieta hoje já melhorei muito…. A maturidade me ajudou a saber a hora certa pra tudo. Graças a deus!


Sabe a língua local? Considera importante?
Sei e considero fundamental. As pessoas te respeitam muito mais quando vê seu esforço pra aprender a língua.
 
Sabe falar mais alguma língua?
Eu me viro no inglês.


Conhece muita gente do seu país de origem onde mora atualmente?
Sim muitas pessoas, e trabalhando com direito de estrangeiros faz aumentar mais e mais esse circulo.


Como foi a adaptação ao país que vive? Tem amigos?
No começo foi difícil, principalmente com meus filhos muito pequenos. Vim pra cá falando duas palavras em espanhol…Kkk no e gracias (não e obrigado) queria abraçar este pais com unhas e dentes… Mas aqui a vida tem outro ritmo… Então tive que reaprender a fazer as coisas de maneira mais lenta… No Brasil tinha babá, ajudante em casa e aqui não tem o costume disso, primeiro porque é caro e segundo eles aproveitam muito da presença dos avós. Ao final trouxemos nossa babá para passar uma temporada conosco. Depois de um ano fomos  nos adaptando.


Sua visão de mundo mudou após essa mudança de vida? Qual foi a diferença?
Mudou sim, aqui aprendi que não precisamos ser tão consumistas. Aqui qualquer pessoa que tenha trabalho pode viver dignamente, aqui o serviço social funciona. As pessoas pagam impostos e tem seu direito garantido. Os espanhóis sabem muito bem desfrutar a vida. Aproveitando cada momento de distração q possam aproveitar


Como é custo de vida de onde mora?
Muito barato em relação ao Brasil, nem se compara… comida é barato, roupa é barato. Aqui qualquer pessoa que trabalha pode desfrutar de uma vida digna.


Tem alguma dica para quem deseja morar aí? Qual?
Paciência, quando estamos começando uma nova vida devemos ter paciência para tudo encaixar… Nem tudo é uma maravilha e passar por mudança requer habilidade de adaptação.


Pensa em morar em outro país diferente? Qual?
Olha até gostaria depois que meus filhos ficassem independentes… rs eu fui a Dinamarca e amei aquele lugar. Lindo, limpo, organizado, mas o frio desse lugar me faz repensar.


Pensa em voltar para sua terra natal?
Infelizmente não. Mas nunca digo dessa agua não beberei, mas pretensão eu não tenho de jeito nenhum. Já voltei e sei que não da mais.
 
 
Quais são seus planos para o futuro?
Continuar minha vida aqui exercer minha profissão, criar meus filhos… viajar e desfrutar da vida! Não tenho muitas pretensões ambiciosas, quero aproveitar dia a dia cada momento.
 


 
 
Foto de Alicante por Carine Saenz
Playa de San Juan (Foto Carine Saenz)

Sê o primeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *