Abrindo a mente…na terra da rainha

Estava fisicamente distante, mas lembrando a todo o momento de alimentar esse cantinho.  Passei o último mês de setembro por uma das experiências mais interessantes da minha vida. Decidi fazer um curso de inglês e escolhi a Inglaterra para colocar em prática meu desejo.
Engraçado que nunca havia pensado em viajar para lá, apenas depois de minha experiência ano passado em Portugal, no Diário de Bordo* (em com Retomando os Trabalhos ) anterior, aumentou minha vontade de melhorar meu inglês, que é o idioma que abre caminhos.
Nesses últimos dois anos fiz alguns muito bons amigos, especialmente de outros países e o fato de eu estar estudando inglês numa escola com professores nativos, despertou em mim ainda mais tal interesse. Bom, fui para Inglaterra, escolhi a cidade de Bournemouth, influenciada pelo ótimo blog de minha amiga Brenda**, e decidir aliar meu estudo a viagens pela Europa.
Bom, desta vez não será um diário, apenas passarei minha impressão dos lugares que visitei e das pessoas que conheci, ou seja, um pouco do que vivi.
Ao chegar notei a sobriedade do inglês já na imigração, que faz algumas perguntas, mas como fui com todos os documentos da escola, acomodação e a grana necessária para me manter um mês no país (Londres, £ 1000, cidades arredores £ 800), que é o exigido, fiquei tranqüila. Sim, claro que o básico de inglês para entender  as perguntas fica mais fácil, mas não chega a ser um bicho de sete cabeças.
Caí na besteira de chegar num domingo com teste de nivelamento na segunda, o que não me ajudou muito, pois fui à longa viagem (cerca de 15horas) e a diferença de fuso (4 horas) me deixou meio zumbi. Bom, devo dizer que meu estudo de inglês aqui no Brasil não me desapontou e minha escrita me salvou de não caí na turma iniciante.
De cara fiz amizade com dois alemães e mais tarde uma terceira, que me fez de imediato quebrar qualquer tipo de preconceito que por um acaso poderia existir pelo povo germânico, que muitas vezes é considerado frio.
Amei a recepção da escola com um aparato que lhe faz manter contato a todo instante com o inglês com aulas de conversação durante toda a semana e com atividades que ajudam na interação entre os alunos. A acomodação, não foi meu ponto forte, afinal é uma loteria, mas não deixei de ter o suporte da escola em muitos momentos.
Um pouco de Bournemouth
A cidade é litorânea e fica ao Sul da Inglaterra, cerca de 3 horas de carro de Londres. Famosa pelas chamadas Beach Huts, que são pequenas casinhas a beira do mar, onde não é possível ter banheiro ou cozinha, pois é apenas um ponto de apoio dos ingleses quando desejam ir à praia. Esta é bonita e freqüentada especialmente por moradores todos os dias, o frio era demais para a baiana aqui, mas as germânicas que estavam comigo garantiram que a água estava ótima.
No centro de Bournemouth, o ponto de encontro é na Square, onde de lá é possível avistar um grande Balão num Jardim enorme e onde casais de namorados e famílias ficam no fim da tarde e fins de semana.  Durante levei o Sol da Bahia para lá e foi esse o tempo durante todo o mês, mas a temperatura era em torno de 16 a 18 º C. Mais abaixo tem algumas fotos de lá.
Bom, planejei minha estada na Inglaterra com estudos durante a semana e viagens nos fins de semana. Queria rever algumas pessoas e conhecer lugares novos. Os lugares escolhidos, Londres, Amsterdam (decidi lá) e Irlanda. Bom deu tudo super certo e posteriormente faço um resumo das três viagens.
The Balloon
Jardins
Beach Huts
Vista do Pier de Bournemouth
Euzinha, com roupa de banho
Vale a pena dar uma olhada:
* http://inquietudebrasileira.blogspot.com.br/2013/10/ola-voltei-e-agora-numa-versao.html
**http://brendaembournemouth.blogspot.com.br/

2 Comentários

  1. Anny said:

    Ótimo texto, como já era de se esperar Thaís. Viajei um pouco com você, adorei o jardim onde as famílias e os casais se encontram e brincadeiras a parte, acho que os baianos não irão gostar dos seus " novos trajes de banho" . rsrs
    Fico aguardando ansiosa o resumo das viagens a Londres, Amsterdam e Irlanda.

    16 de outubro de 2014
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *