Uma baiana em Sampa…

Olá!!!!!!!
Depois de uma rápida visita (quatro dias) por Sampa, semana passada, estou aqui para dar um retorno da impressão que tive da cidade. Tive como companhia tia, primo e, é claro, meu inseparável irmão.

Desembarcamos em Guarulhos, por volta do meio dia, e logo de imediato procuramo um mapa da cidade, que é gigantesca. Logo em seguida, procuramos o transporte que nos levasse para o hotel localizado na Av. Paulista. É possível pegar o ônibus que leva a cada hora do Aeroporto até os Hotéis da Paulista, mas no caso de estar acompanhado vale dividir um táxi.

A chegada à cidade levou mais ou menos uma hora pois fomos de ônibus e Guarulhos é uma cidadezinha ao lado da grande São Paulo, tipo Salvador e Lauro de Freitas, o que demorou para nos livramos das malas.
Feito o Check In, e deixar as malas no quarto, fomos direto para o MASP ( inclusive vale aqui a dica de assistir o filme, Modigliani- Paixão pela Vida, com Andy Garcia antes da visita ao Museu).

No MASP é possível deliciar-se com obras de Renoir, Monet, Manet , Cézanne, Van Gogh,, Modigliani,Diego Rivera ( o marido de Frida Kahlo) e sem falar dos dentre os muitos artistas brasileiros, Almeida Junior, Cândido Portinari, Anita Malfatti, Victor Brecheret e Flávio de Carvalho. Maravilhoso! Ao longo da visita você descobre as marcas que caracteriza cada artista e já consegue identificar cada um deles, antes mesmo de você olhar quem assinou, apenas pelo traço da pintura. Bem legal!

Para quem curte vale a pena sair ir curtir num barzinho para apreciar o movimento e refletir sobre o que viu. Como estava curiosa resolvi visitar o Parque em frente ao Museu o Trianon, com árvores e banquinho, lugar bucólico e aprazível, bom para ler um livro. Já a noite, não poderíamos deixar de assistir a uma peça teatral que é mais um dos fortes locais.

No dia seguinte, fomos de metrô, à famosa Rua José Paulino, era sábado que eu queria conhecer o lugar onde diziam vender roupas baratas para começar o dia. Você encontra lá uma grande variedade de modelos de roupa que deixa o local interessante mesmo com toda quantidade de pessoas que lotam as lojas e pelo preço razoável. A desvantagem é que é muito cheio e a maioria das lojas não deixa você experimentar as roupas, o que para mim é desvantagem.

Essa rua é chamada de José Paulino fica pertinho da Estação da Luz, onde fica o Museu de Língua Portuguesa. Nesse dia, sábado, a entrada era gratuita, por isso estava bem cheio, mas nem por isso deixou de ser o passeio saboroso. Num dos andares estava à exposição de Oswald de Andrade. Imagina que maravilha?

No andar mais acima fomos à parte interativa que mostra a história de como surgiu a língua portuguesa. Não vou falar tudo se não perde a graça de quem ainda não foi. O importante é que é muito bom.

Uma boa dica é a Pinacoteca que fica logo em frente, mas por estar cansados por demais não conseguimos concluir nossa expedição por toda área do Museu, que é enorme. Fico devendo na próxima visita. A noite que tal sair para jantar regado a um bom vinho….(risos)

Bom…a cultura paulista e seus costumes é eclética e no Parque do Ibirapuera, no domingo, foi possível ver isso. Tribos de todos os tipos, a galera do heavy metal, góticos, gringos, enfim uma mistura interessante.

No parque existe uma enorme diversidade de atrativos onde é possível visitar museus, teatro, andar de bicicleta, fazer piqueniques, ginástica, ouvir um som…

Uma boa dica é o MAM que sempre promove alguma exposição que no nosso caso era a Bienal Internacional de Arquitetura, o Museu de Cultura Afro esse em especial muito bom, que por sinal aqui em Salvador ainda não temos, principalmente com tamanha amplitude.

Nesse dia ainda deu para visitarmos a Livraria Cultura, enorme, com três pavimentos e a noite pegamos um cineminha. Maravilha!
Não posso esquecer-me de salientar que conheci a famosa 25 de Março, que é muito grande como tudo na cidade. É necessário tempo para aproveitar suas promoções, o que não tínhamos aquela altura, segunda pela manhã, por isso não deu para fazer muitas compras… (risos)

Puxa…estava na hora de voltar. Sniff! Como na vinda no caso de viajar sozinho vale pegar o ônibus que leva e traz do Aeroporto aos hotéis, mas estando acompanhado vale a pena pegar táxi, pechinchando… É claro.

A volta teve certa dose de emoção. No avião com todo mundo dentro já estava andando na pista para decolar, retorna ao local onde estava parado com o aviso do comandante que iriam fazer uma manutenção de última hora. Pense na tensão… (risos)

Uma hora após a manutenção, decolamos e como, não poderia deixar de ser, após inúmeras turbulências, chegamos em casa.

O que posso tirar da minha breve estada em Sampa é que o local transborda cultura, movimento e informação. Com inúmeras coisas para serem feitas. Pessoas bonitas e estressadas, mas interessantes.

Se você vai visitar esta cidade não pode deixar de conhecer o MASP e o Museu de Língua Portuguesa. São imperdíveis! Esses são locais que nos preenche com o saber. Com certeza, voltamos diferentes, sentindo-nos intelectualmente fortalecidos belo banho cultural tomado.

3 Comentários

  1. Israel said:

    Irei novamente, num futuro próximo, Nane ta convidada.. 😉

    17 de novembro de 2011
    Responder
  2. POPEYE9700 said:

    A descrição está empolgante mas ainda assim não me sinto motivado para visitar. A não ser, claro, que seja em boa companhia. Aí vale pela companhia. Claro 😉

    24 de outubro de 2013
    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *